O futuro esta acontecendo agora em Londres

Veja os destaques da Primavera / Verão 2020 desfilado esta semana

Entre os dias 7 e 10 de junho, aconteceu na capital inglesa a Semana de Moda Masculina primavera / verão 2020. Com mais de quarenta desfiles, esta edição continuou fortalecendo a cidade como capital da alfaiataria e da moda masculina de vanguarda. A maioria dos desfiles são de marcas jovens, com uma visão bem clara de futuro, libertos de antigos padrões e reconectados com o desenho de moda provocador.

Separamos o top 5 desfiles de Londres, com nomes que você certamente ouvira falar muito nos próximos anos.

ICEBERG

A italiana Iceberg é conhecida pelas roupas esportivas e por sua linha de roupas de inverno. Nesta temporada, o estilista britânico James Long levou a Iceberg para uma viagem colorida e lisérgica, que flerta com o exagero dos anos oitenta. Iconesda cultura pop norte americana e personagens da looney tunes são estampados/bordados em peças esportivas em cores flúor.

BETHANY WILLIAMS

Com formação na prestigiada London College of Fashion, a estilista britânica ficou conhecida no mundo da moda já na sua coleção de graduação. Ela reutiliza materiais de descarte e realiza uma pesquisa imensa de novos produtos e processos sustentáveis na moda, além de contribuir para projetos sociais no sua cadeia de produção. Nesta coleção, Bethany apresenta tricôs e peças com formas orgânicas, criando uma sofisticada sequencia de peças sem gênero e com proposito. Ah, já ia me esquecendo, ela é finalista do prêmio LVMH deste ano.

CRAIG GREEN

É difícil imaginar a moda masculina do futuro sem pensar no trabalho de Craig Green. Seja trabalhando em sua marca, ou na imensidão de parcerias que realiza, o estilista brinca mais do que ninguém com todos os códigos da moda masculina. Sempre flertando com o utilitário, suas peças sempre são recheadas de bolsos, cintos e pendentes. Formado pela Central Saint Martins, o estilista foi venceu o British Fashion Awards três anos seguidos. Nesta estação, a silhueta caixa já trabalhada por ele em outras estações, abriu a passarela evoluindo para questões mais impalpáveis. Recortes coloridos, xadrez estampado e camuflados gráficos preencheram as ousadas modelagens que certamente figurarão o guarda roupa do homem do amanha.

CHARLES JEFFREY

Londres é o berço do punk, da contracultura, dos Sex Pistols e de Vivienne Westwood. Neste imenso caldeirão expoente de tudo que existe de mais visceral esta o trabalho de Charles Jeffrey. Filho criado (ou mal criado) da Central Saint Martins, o estilista desafia o mercado da moda, colocando em sua passarela pinturas vivas, cobertas com composições inimagináveis. No meio da Biblioteca Britânica, estampas saem das peças e ganham a pele dos modelos, irreconhecíveis sobre o manto romântico e agressivo que são suas roupas. Um sapato social pode até estar lá, mas só se acompanhado de meia arrastão.

A-COLD-WALL

A marca, comandado por Samuel Ross fez um dos mais interessantes desfiles desta temporada. O estilistas que já colaborou com gigantes como Nike e Oakley continua a olhar para o bairro operário e periférico de Londres onde cresceu e desenvolveu seu apuro estético. Sua paleta de cores que varia entre cinza, branco, preto e marrom é pontuada nesta coleção com azul; mixada com estampas em degradê em tons frios. Suas roupas continuam a lembrar uniformes, com pendentes e recortes inesperados, onde a peça não molda o corpo, ela o protege e reconstrói.

Você pode conferir outros desfiles da Semana de Moda Masculina de Londres no nosso instagram.