Aos pés da escada de Mademoiselle, o flashback futurístico da Chanel

Luiz Fernando Vieira Miranda

Na Chanel, a coleção de pré inverno recebe outro nome: Métiers d’Art . Isso por que é mostrado na passarela da marca o trabalho manual de plumas, chapéus, bordados e luvas confeccionados em atelies parisienses especializados na construção dessas pequenas joias. Além disso, essa é a primeira coleção (deste formato) comandada por Virginie Viard, que assumiu a direção criativa da grife a pós a morte de Karl Lagerfeld, em fevereiro passado.

A coleção foi batizada como “31 rue Cambon”, endereço na capital francesa onde a própria Coco Chanel começou seu império, no século passado. O cenário ficou a cargo da cineasta Sofia Coppola (mulheres no comando) que recriou no Grand Palais a icônica escada espelhada da marca onde foram desfilados pela primeira vez os ícones da Chanel.

Como era de se esperar, Virginie seguiu trabalhando o estilo bicolor clássico Chanel/Karl/Viard, conjuntos em matelassê, colares de pérolas e as calças que transformaram o guarda roupa feminino no pós guerra. Os vestidos fluidos e claros ornamentados com plumas e poucas peças metalizadas (oi futuro? cê vai bem?) são o maior respiro da coleção, que termina em uma sequencia de preto e branco límpida e precisa.

Marcas tradicionais continuam no topo da Semana de Moda Masculina de Milão

Versace, Marni e Ermenegildo Zegna são os destaques da mais recente temporada italiana.

Entre os dias 14 e 17 de Junho os holofotes da moda mudam de Florença, onde estava acontecendo a Pitti Uomo, para Milão. A cidade capital da moda feminina italiana apresenta as coleções masculinas para a temporada verão 2020 em 26 coleções. Veja abaixo os destaques desta semana de moda.

ERMENEGILDO ZEGNA

Trabalhando com nylon e lã reciclados e minimizando processos de desperdício de matéria prima, Ermenegildo Zegna trabalhou com um cartela de clores clássica na moda masculina, baseada entre outras cores em mostarda, preto, cinza e bordô. As texturas de couro e a escolha de acessórios (as boinas <3) garantem um ar jovem a coleção.

FENDI

A coleção assinada por Silvia Venturini Fendi foi inspirada no universo da jardinagem ocidental e japonesa. A partir do tema você já deve imaginar qual são ons tons terrosos e as texturas de treliça utilizadas pela marca nesta temporada. O desfile foi realizada nos jardins do Palacio Realle sob uma passarela de cascalhos.

VERSACE

Mais Versace do que nunca, esta coleção desenhada por Donatella Versace utiliza de todos os códigos da marca para apresentar ao publico uma enorme variedade de peças masculinas e femininas. As jaquetas de couro com franjas, as estampas de oncinha e as multicoloridas estampas rococós características da marca compõe o visual dos meninos roqueiros de cabelo coloridos em paletas neon.

Givenchy X Onitsuka Tiger

Após desfilar como convidada especial da PItti Uomo, o evento mais importante da moda masculina mundial, a Givenchy revelou os modelos de sua colaboração com a marca de tênis japonesa Onitsuka Tiger.

Esta é a primeira colaboração da Onitsuka com uma marca de luxo. Os dois modelos, uma versão preta e outra branca, serão vendidos nas lojas especiais das duas marcas o site oficial da Givenchy.